segunda-feira, 23 de maio de 2011

Um pouco mais longilínea, como fosse uma bela (e farta) mulher


A do tempo indispensável: Times New Roman

Uma elegância que vem da Renascença: Palatino

Cativante sobriedade: Arial

A revelação, não serifada, que veio da Coreia: Undotum


Meus tipos favoritos

Durante algum tempo usei exclusivamente Linux. E ainda usaria, não fosse as limitações de softwares para edição de sons e imagens. À época em que usei Linux, o editor de textos, no caso o Writer da Office -- também utilizado nas plataformas Windows e Mac – possuía, apenas na versão para Linux, um lindo tipo de letra. 
Passou o tempo. Deixei de usar Linux. Muita água passou debaixo da ponte. E, em geral, nos finais e começos de ano, até por cima dela. 
Um dia bateu uma saudade imensa daquele tipo de letra que tem, em especial, um dos "g's" mais bonitos de todas famílias das fontes gráficas. Uma letra sensualíssima, contando com um pequeno, charmoso repuxo transversal  na borda acima à direita desse invlugar "g". 
Puxando pela memória e com uma pequena ajuda do Google descobri ser a Undotum – ao que parece uma criação oriental: coreana (e eles são bons nisso). Mas infelizmente o editor de texto da Blogger parece não aceitar a Undotum. [1]
Em tempo, minhas fontes favoritas são a velha e boa Times New Roman – especialmente em versões em que ela assoma ligeiramente mais longilínea, como fosse uma bela (e farta) mulher esboçada por Mondigliani. (O editor de textos do Microsoft Works – mas não o Word ou o Writer –  em geral reproduz esse tipo.) A Paladino comum –  mais que a Paladino Linotype – é uma fonte de uma notável elegância. Talvez a mais clássica de todas as fontes. Me agrada ainda, para sair dos traços mais usuais, a Myriad Web Pro Condensed. E, por fim, mais outras duas não serifadas entre as eleitas: a discreta Arial Narrow; e a minha descoberta mais secreta: a Undotum.

Este texto é, em geral, visto em Arial Narrow, embora digitado em Times New Roman, aqui no editor de textos da Blogger. Na informática, há coisas que eu não entendo. Não poucas. E, a vasta maioria, não faço a menor questão de entender.


NOTA - a postagem "A Glosa" [ou "Achei a frase meio Saint-Éxupery..."], duas abaixo desta, está em Palatino.


[1] Em verdade, aceita, sim. Postagens mais acima, por exemplo, desde "Quem Precisa de Poréns" até "Uma Avenida Antônio Sales do Coração, estão todas elas "compostas" em Undotum


NOTA DE BASTANTE DEPOIS [02.04.12]
Descobri posteriormente, na coleção de fontes de acesso aberto do Google [Google Web Fonts], a Molengo. E em sua segunda reforma gráfica, no início mesmo de 2012, Afetivagem adotou a Molengo como fonte padrão. Há muitas fontes open source a escolher no site acima. Tantas quanto sejam as idiossincrasias de cada utente.

*   *   *

Nenhum comentário:

Postar um comentário