terça-feira, 15 de setembro de 2009

Diante de um tabuleiro de xadrez: três citações


Ingmar Bergman, Det sjunde inseglet [O sétimo selo], 1957



O cinema tratado em 3 mini-tratados



Sem tempo/saco para este blogue, largo três citações: Bresson, Tarkovski e Cassavetes. A de Bresson remete em linha reta para certo filme de Bergman [O Sétimo Selo]. A de Tarkovski é um mini-tratado de semiótica e tradução. A de Cassavetes lembra o "descaso" pela ténica em si de Buñuel [embora Buñuel trabalhasse como um dos mais refinados diretores de fotografia da história do cinema, Gabriel Figueroa - ou por isso mesmo] :

i.
Escrever um bom poema é meio como diante de um tabuleiro de xadrez ganhar um lance da morte.”
[Robert Bresson]


ii.
-->
No cinema, o elemento literário deve ser ‘filtrado’; ele deixa de ser literatura assim que o filme for concluído. Uma vez terminado o trabalho, tudo que resta é a transcrição escrita do filme. A decupagem técnica, que não pode, por qualquer definição ser chamado literatura: assemelha-se mais à descrição de algo que se viu feita a um cego.”
[Andrei Tarkovski]


iii.
"Prefiro um pouco fora de foco. Não quero que se admire a imagem. Não se cessa de olhar – e é aí que a gente sente".
[John Cassavetes]



* * *

Nenhum comentário:

Postar um comentário