sábado, 21 de abril de 2012

Mais Bodes


Agora, tire um bode
[Anedota Popular]

Talvez tenham-se amado em algum alvoroço. Por catorze minutos, se tanto. Mas isso fora há muito tempo. E, uma vez os filhos criados, compraram um sítio no limiar da cidade. O plano era levar dias tranquilos entre mangueiras e sombra. Mas esqueceram de combinar um com o outro.
Certa tarde, tiveram discussão a propósito da compra de uma caixa d'água. Era grande demais, segundo ela. Que nada e na medida, segundo ele. E já estava comprada. E bem ali na frente deles. E babau. 
Prioridades tinham sido deixadas ao largo, como o novo armário do closet, no entender dela. 
Ainda segundo ele, a caixa d'água era de polietileno e não soltava pigmentos. E, bem.
Ela exaltava-se. Ele calava. E as rolinhas não deixavam de fogapagar lá fora.
Então ele pegou a camioneta e foi à cidade. Voltou meia-hora depois, com outra caixa d'água. Idêntica à primeira. Também de polietileno e anti-pigmentos. Só que um pouquinho maior. Com o auxílio do Seu Silas, pôs ao lado da outra, bufando:
-O que é isso? - ela disse.
-Uma caixa d'água.
-Sim, mas posso saber o que a porra dessa caixa d'água tá fazendo aqui? - foi o preâmbulo.
Ele acendeu o cigarro, contemplou os brotos amarelos na copa da mangueira. E começou a desenredar o fio no caniço da vara de pescar:
-Esse molinete era tão bom. 
Na rodagem, matutos voltavam da feira de bicicleta, comentando o jogo do Real Madrid. E calavam ao ouvir os gritos dela, observando-os com um silêncio pleno de falas futuras. 
Seguiram-se quase meia hora de invectivas, rompantes. Nenhum incentivo fiscal. Ou política de inclusão conjugal. E ela xingando os parentes dele até a terceira geração. Depois os filhos. E, então, as partes dele.
Por fim, quando tudo amainou, ele ergueu-se, pegou a chave da camioneta e saiu.
Quarenta minutos depois, ela ouviu o barulho do motor e os guizos da porteira. E, ao postar-se à janela do alpendre, percebeu, ao longe, a avultada forma em azul na carroceria da camioneta. 


De madrugada, estavam tomando banho nus de uma para outra caixa d'água. Parece que ainda há alguma vantagem em se construir casas em chácaras.

4 comentários:

  1. Mas que perfeita solução...

    ResponderExcluir
  2. é. foi inspirada em telenovelas. às vezes, funciona.

    ResponderExcluir
  3. diga que eu sou sua leitora predileta, vai!

    ResponderExcluir
  4. você, nanda, "é a minha lei-to-ra pre-di-le-ta vai". agora tem também as leitoras prediletas vêm. que ninguém é de ferro.
    "mas, vá".

    ResponderExcluir